Em Maracanaú, candidatos assumem compromisso com a Plataforma para as Eleições 2020

O Sindicato Unificado dos Profissionais em Educação de Maracanaú (Suprema) iniciou na manhã desta terça-feira (10 de novembro) a submissão da “Plataforma para as Eleições 2020” aos postulantes aos cargos de vereador/a, prefeito/a e vice-prefeito/a, que foram convidados a assinar a carta compromisso com as propostas para as políticas públicas municipais apresentadas pelos/as profissionais em Educação de Maracanaú.

No primeiro momento da atividade, que acontece no auditório do Suprema, foram convocados os candidatos a prefeito e vice-prefeito. Compareceu, nesta parte, o candidato Julinho, líder do Camilo (Cidadania), que assinou a carta compromisso junto às propostas da categoria. No período da tarde, são convidados os postulantes de cargos públicos no Legislativo de Maracanaú.

Para evitar aglomerações, em cumprimento ao Decreto do Governo do Estado que prevê o limite máximo de até 100 pessoas presencialmente em eventos, somente dirigentes do Suprema e das entidades filiadas, além dos candidatos e assessores, participam fisicamente do evento.

Entre os presentes na solenidade, a presidente em exercício da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Carmem Santiago, a presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam), Vilani Oliveira, o diretor do Sindicato dos Servidores Federais no Ceará, Luiz Souza Filho, e a anfitriã, presidente do Suprema, Joana Ferreira.

A Plataforma

O material é embasado no documento construído pela Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), que este ano, propõe para discussão o tema “Meu município: o melhor lugar do mundo para se viver!”, e chama a atenção para a eleição de candidatos/as realmente comprometidos com as propostas dos/as trabalhadores/as.

Os Planos apresentados na Plataforma se dividem em seis eixos centrais – cidadania, criatividade, trabalho decente, sustentabilidade, igualdade e democracia. Cada eixo traz medidas que visam enfrentar problemáticas como o déficit de desenvolvimento local, o desemprego, a retirada de direitos sociais e trabalhistas, as privatizações, o corte de verbas da educação, os constantes ataques aos professores e o desmonte do serviço público em Maracanaú.

DEIXE UM COMENTÁRIO