Contra o desemprego e por direitos, Fortaleza terá ato no dia 10 de agosto

As principais centrais sindicais, incluindo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), convocam paralisações da classe trabalhadora para o próximo 10 de agosto, Dia do Basta. Juntas, as entidades lutam contra o desemprego, a reforma trabalhista, a agenda de privatizações e contra o aumento dos combustíveis. Em Fortaleza, um ato está agendado para 8h, na Praça da Bandeira.

Atualmente, o Brasil possui 13,2 milhões de desempregados, o dobro do que foi registrado em 2014. Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), são 27,7 milhões de pessoas sem emprego, subocupadas (que fazem algum tipo de bico/freela) ou desalentadas (que desistiram de procurar algo e entraram em estado de desânimo).

“Esses dados desastrosos são reflexos da agenda econômica e social promovida pelo governo golpista de Michel Temer (MDB) e seus aliados no Congresso, que estão em sintonia com os grandes empresários. Temos de estar unidos para dar um basta nesta situação”, afirma Douglas Izzo, presidente da CUT-SP.

A reforma trabalhista aprovada em 2017 trouxe a precarização do trabalhador, como o trabalho intermitente, redução do horário de descanso, o fim da dispensa coletiva sem intervenção sindical, entre outros pontos prejudiciais à classe trabalhadora.

Na pauta das centrais também está a luta contra a política de preços da Petrobras, que tem apresentado aumentos superiores à inflação na gasolina (31%), no etanol (22,6%) e diesel (52,15%). Com o botijão de gás mais caro – 17,2% a mais – muitas pessoas voltaram a cozinhar usando lenha. A situação causou a maior greve de caminhoneiros da história, parando o país por mais de uma semana em maio deste ano.

DEIXE UM COMENTÁRIO