Taxa de desemprego aumenta em março, segundo Diesse


Em março,  a taxa de desemprego no conjunto de Regiões Metropolitanas acompanhadas pelo Sistema PED – Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador e São Paulo – foi de 11,0%, enquanto em fevereiro havia ficado em 10,3%. Em comparação com março de 2013, a taxa mostrou pouca diferença, uma vez que há um ano o indicador correspondia a 10,9%.  O crescimento da taxa é típico para este período. O total de desempregados foi estimado em 2.294 mil, 136 mil a mais que no mês anterior. Em relação a março de 2013, também houve crescimento no número de desempregados, mas mais modesto (47 mil pessoas).  


 


A força de trabalho manteve-se estável no mês (- 1 mil pessoas) e o total da População Economicamente Ativa para março é estimada em 20.876 mil pessoas. Frente aos dados de março de 2013, esse total representa uma crescimento de 1,1%, ou acréscimo de 250 mil indivíduos à PEA. Já o total de ocupados em março foi estimado em 18.582 mil pessoas, com um avanço de 1,1% em relação a igual mês em 2013, mas uma retração de 0,7%, frente a fevereiro.


 


Assim, no conjunto de regiões pesquisadas, em março, houve a eliminação de  137 mil vagas e na comparação com igual mês de 2013, houve a geração de 203 mil postos. No mês, apenas o setor Serviços manteve estabilidade, com fechamento de apenas 2 mil postos;  em um ano, o mesmo setor foi responsável pela abertura de 134 mil vagas.  Comportamento negativo foi observado na Indústria, tanto na comparação mensal     (- 88 mil postos) como no anual (-67 mil).   Na Construção, 26 mil ocupações (-1,7%) foram eliminadas em março, mas houve crescimento de 3,4% (ou 49 mil postos) em um ano. O Comércio e reparação de veículos automotores também apresentou desempenho negativo no  mês (-24 mil vagas) e positivo em um ano (86 mil novas ocupações). 


 


O rendimento médio real dos ocupados registrou alta de 0,8% em fevereiro, comparativamente com janeiro, enquanto o salário médio variou 0,7%. Assim, os valores monetários corresponderam a R$ 1.689, para os ocupados e a R$ 1.710, para os assalariados. Em 12 meses, o incremento dos rendimentos correspondeu a 3,8% e o dos salários ficou em 3,1%.


  


Acesse as informações para a PED Metropolitana e os dados de cada região.


 


Fonte: Dieese


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO