Emprego industrial tem maior alta mensal desde 2001, mas cai no ano

O emprego industrial cresceu 1,1% em novembro perante outubro, no quinto avanço seguido e o maior desde janeiro de 2001. Em relação a novembro de 2008, contudo, houve queda de 4,1%, a 12ª taxa negativa seguida, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em nota divulgada nesta terça-feira.  No acumulado do ano, a baixa foi de 5,5%. Em 12 meses, o recuo correspondeu a 5,2%.


Voltando o foco para o confronto anual, 13 das 14 áreas analisadas pelo IBGE e 16 dos 18 segmentos avaliados tiveram corte de pessoal. “São Paulo (-3%) exerceu o maior impacto negativo na taxa global, seguido por Minas Gerais (-9,1%), região Norte e Centro-Oeste (-6,5%) e Paraná (-5,5%)”, apontou o organismo.


Por setor, as quedas mais expressivas foram observadas em meios de transporte (-10,4%) e máquinas e equipamentos (-9%), por exemplo. Em sentido inverso, houve contratações em papel e gráfica e em fumo.


O levantamento mostrou ainda que o valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria encolheu 0,8% em novembro do ano passado, em relação ao mês anterior, e cedeu 2,7% ante novembro de 2008. Já o número de horas pagas pelo setor industrial subiu 0,9% no penúltimo mês de 2009, frente a outubro, mas diminuiu 3,6% na comparação com novembro de um ano antes.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO