Servidores participam de curso de negociação coletiva no setor público


Cerca de 45 servidores municipais participam do curso “Negociação Coletiva no Setor Público”, no Romanos Hotéis e Eventos, Fortaleza-Ceará. O evento vai dos dias 4 e 5 de setembro e visa a potencializar as qualidades de cada representante sindical para a mesa de negociação coletiva. A promoção é do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudo Socioeconômicos (Dieese) em parceria com a Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce).


Roberto Sugiyama, técnico convidado do Dieese-SP, lembra que o curso não objetiva ensinar como negociar, pois, ele ressalta, cada representante sindical já sabe fazer isso. Sugiyama informa que o curso procura organizar o conhecimento que cada trabalhador tem e mensurar, ou ajudar, a descobrir posturas, comportamento, grau de argumentação e definir uma estratégia na mesa de negociação contra a Prefeitura.




Sugiyama lembra ainda que os servidores devem agir em sintonia. “A comissão dos servidores se perde quando um fala em cima do outro e têm posições discordantes. Quando isso acontece, deve-se pedir um intervalo para se organizar. Do contrário, o outro lado repara que existe uma falta de diálogo e de entendimento das pautas reivindicadas”, ensina.


Comportamento


Dênis de Oliveira, secretário de Finanças do Sindicato dos Servidores Municipais de Jijoca/Jericoacoara afirmou que, nas negociações, a Prefeitura procura desviar o foco das pautas do Sindicato. Para ele, o comportamento do sindicato também pesa na negociação. “A gestão tenta desviar o foco das pautas. A forma como você se expressa, um tom de voz pode levar tudo a perder na mesa de negociação, que pode se acabar antes mesmo de se começar a negociar”, reflete.


Francisco Nelson das Chagas, coordenador de área do Sindicato dos Servidores Municipais de Tamboril, avaliou como positiva as dinâmicas do curso. Na dinâmica de ontem (4), ele esteve no grupo que representou o sindicato, em uma simulação de mesa de negociação.  Para Nelson, o ensinamento que ficou foi que “É preciso um planejamento antes de ir para a mesa; a definição dos papéis, o que cada um vai colocar”, do contrário, ele continua, o grupo se perde nas reivindicações.


O curso prossegue hoje (5) com mais palestras e dinâmicas.


A avaliação de crescimento com o curso vai ser feita por cada participante. “Cada uma vai procurar enxergar um crescimento do seu comportamento, da sua argumentação, da sua estratégia e tática ao fim do curso. Se o pessoal conseguir enxergar essa evolução, sucesso”, afirma Sugiyama.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO