Servidores do Crato entram em estado de greve


 


Depois de rejeitar em Assembleia Geral dos Servidores Públicos Municipais do Crato as propostas iniciais da prefeitura da cidade para a campanha salarial 2013, realizada no dia 13 de março, os trabalhadores voltaram a se reunir  no dia 16 para colocar novamente em debate as propostas de aumento salarial, carga horária, assédio moral, condições dignas de trabalho, entre outros assuntos pertinentes às categorias que formam o quadro de Servidores do município.


 


No encontro, os servidores mostraram indignação e insatisfação com relação aos salários e condições de trabalho.


 


Na sequência, houve uma exposição de dados técnico-adminstrativo-financeiros do setor de contabilidade da Prefeitura, feita pelos representantes do Governo Municipal. As perdas salariais, os casos de assédio moral, a situação de contratados, a fila de espera dos classificáveis do último concurso, a ausência do secretário de administração e da secretária de educação, o atraso no pagamento, entre outros temas foram amplamente expostos em forma de questionamento pelos trabalhadores, dirigidos aos prepostos do chefe do executivo local.


 


A proposta patronal foi então alterada de 7,97% para 8% de reajuste salarial para os professores e permaneceu em 6% para as demais categorias. Essa proposta foi unanimemente considerada inaceitável.


 


Diante da resistência do governo no atendimento das reivindicações e entre momentos desagradáveis de ofensas, foi, então, declarado “Estado de Greve”. Foi, portanto, marcada uma manifestação de teor pacífico, denominada de “dia D”, para a próxima sexta-feira. Essa manifestação contará com dois momentos específicos: passeata pelas ruas da cidade pela manhã e, à tarde, renegociação das reivindicações.


 


A Assembleia foi concluída com a decisão de só se entrar em GREVE em último caso. 


 


Fonte: SINDSMCRATO


 


Assessoria de Comunicação


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO