Profissionais da Educação de Maracanaú estão em greve por tempo indeterminado

Mais uma audiência entre o prefeito de Maracanaú Roberto Pessoa e o SUPREMA (Sindicato Unificado dos Profissionais em Educação no Município de Maracanaú), é marcada por uma negociação mal sucedida.


Confirmando sua truculência, o prefeito ofereceu um reajuste de 4,86%, enquanto o sindicato reivindica 15,93%, baseado no reajuste do valor aluno (2009/2010), conforme a Lei do Piso Salarial Nacional.


Como se não bastasse tamanho descaso com a categoria, o prefeito se recusou a receber o Deputado Estadual Artur Bruno, presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa na comissão de negociação.


O que referenda sua postura ditadora e autoritária. Em provocação ao Sindicato, Roberto Pessoa diz: “Quero que façam a greve para diminuir a folha de pagamento, pois vou descontar os dias parados”.


Indignada, a categoria decreta GREVE GERAL por tempo indeterminado.


O SUPREMA reunirá todos (as) os profissionais em educação na Câmara Municipal de Maracanaú no dia 23 de abril para fazermos uma manifestação por entendermos que essa Câmara tem sido conivente com a política nefasta do prefeito, prejudicando nossas reivindicações.


Exemplo disso foi a aprovação do PCCR (Plano de Cargo, Carreiras e Remuneração), sem alteração e a criação do IPP (Instituto de Previdência Própria) à revelia da categoria.

Temos que deixar claro para esse gestor. Que iremos à luta em busca de melhores salários e condições dignas para os profissionais em educação no município de Maracanaú. Tendo em vista que as conquistas da classe trabalhadora sempre foram marcadas por muita luta. E em Maracanaú não é diferente.


Por isso o SUPREMA reúne os profissionais em educação nesta sexta-feira, dia 23/4, na Câmara Municipal de Maracanaú a partir das 8h.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO