Novo Prefeito de Sobral assume com a greve dos agentes de trânsito

Os agentes de trânsito de Sobral deflagraram na manhã do último dia 03/01, greve por tempo indeterminado, após a Prefeitura de Sobral apresentar negativa a todas as reivindicações solicitadas ainda em 2010.


Mesmo com a transição de posse de um novo prefeito, o Secretario da Cidadania e Segurança e seu Coordenador de Trânsito Municipal, não tiveram o cuidado nem a habilidade necessárias para evitar a greve dos servidores do trânsito, uma vez que já tinham conhecimento do problema, mas não demonstraram interesse pela categoria e pelo serviço que prestam à população sobralense, uma vez que praticamente desconsideraram as reivindicações da categoria.


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais – SINDSEMS, que representa os agentes de trânsito demonstra que sempre buscou o acordo para evitar maiores transtornos à população, sem, no entanto obter uma maior sensibilização por parte do poder local, pois como entidade representativa dos servidores municipais, não pode ficar alheia às necessidades e justas reivindicações de qualquer segmento da categoria de servidores municipais.


Os agentes de trânsito haviam suspendido a greve que estava marcada para a véspera do Natal (24/12), atendendo a um pedido da justiça, que em audiência de conciliação, solicitou manifestação da Prefeitura de Sobral, estabelecendo um prazo de quatro dias para que a mesma se manifestasse sobre as reivindicações da categoria. No dia 28/12/2010, a Prefeitura de Sobral, a partir da procuradoria do município, emitiu parecer negando todas as solicitações feitas pelos agentes de trânsito, inviabilizando o diálogo e a negociação.


A partir desta atitude, os agentes de trânsito não tiveram outra opção a não ser paralisar as atividades, até que a Prefeitura de Sobral tenha uma outra postura diante da categoria e das suas reivindicações justas e merecedoras de atenção e tratamento adequado e democrático, pois desconsiderar os problemas levantados pela categoria, representa desrespeito e arrogância do poder local.


A categoria dos agentes de trânsito diante do impasse criado pela Prefeitura de Sobral, definiram após a deflagração da greve, voltar a negociar apenas com o novo prefeito de Sobral Clodoveu Arruda, na perspectiva de que este ao contrário do gestor anterior, se proponha efetivamente a avaliar as questões levantadas pelos trabalhadores do trânsito e não apenas fazer de contra que não existem, como vinha ocorrendo anteriormente.


Os agentes de trânsito de Sobral estão reivindicando um reajuste no salário base, criação de um adicional de periculosidade, concurso público recompor o quadro e ampliar as vagas, pagamento de horas extras, em substituição de folgas em banco de horas, escalas de revezamento adequadas ao tipo de serviços, a fim de lhes assegurarem uma programação social e familiar, além do fim da militarização imposta à categoria de agentes de trânsito, que não é uma corporação militar.


O município de Sobral vive atualmente uma situação preocupante, com uma frota crescente de veículos circulando nas vias e uma fiscalização que não cresce e não acompanha o crescimento da frota de veículos, em função do número reduzido de agentes de trânsito. Diante deste cenário, faz-se necessário a realização de concurso público, não só para reposição, mas principalmente para ampliação do número de agentes de trânsito para atender as demandas crescentes e complexas, além da necessária melhoria salarial da categoria, que em termos reais, fica abaixo da Guarda Municipal.


Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Célio Brito, “Não houve dimensionamento do problema por parte do gestor público de trânsito”, reclamou o presidente.

A Greve que teve início com o ato público numa caminhada pelo centro comercial de Sobral, com faixas e distribuição de uma nota para a população, Seguiu todos os trâmites legais que preceitua a legislação, com o mínimo de 30% dos funcionários trabalhando.


Fonte: Fetamce

DEIXE UM COMENTÁRIO