Maia ataca reajuste dos professores e propõe reduzir drasticamente cálculo do piso do magistério

Em live, presidente da Câmara disse que correção de 12,84% deste ano jogou fora toda a economia feita por estados e municípios. Ele quer que reajuste se dê apenas pela inflação

Em live promovida pela “Genial Investimentos”, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), atacou o reajuste dos professores deste ano e quer desengavetar projeto para reduzir drasticamente o cálculo do piso nacional do magistério.

Com sua fala mansa, o deputado chegou a dizer que a correção de 12,84% de 2020 jogou fora toda a economia feita por estados e municípios. Pelo que declarou, o melhor seria um reajuste de apenas 4,31%, que foi a inflação oficial do governo em 2019.

O projeto do Maia

O que Rodrigo Maia anunciou em sua live, além de destilar preconceito contra os professores, que o cálculo do piso do magistério será mudado. Em vez da correção pelo custo-aluno, como está na Lei Federal 11.738/2008, ele quer o reajuste apenas pela inflação oficial do governo. Após o anúncio, veja o que isto significa em perdas para os professores.

Compare!

Desde 2010, quando o piso nacional do magistério começou a ser reajustado pelo custo-aluno, sempre houve ganho real acima da inflação para os professores. Veja (%):

É este ganho real que Rodrigo Maia propõe eliminar. Se o projeto que ele ameaça desengavetar for aprovado, reajustes do piso serão com base apenas na inflação oficial do governo federal, o que trará enormes prejuízos aos profissionais do magistério.

DEIXE UM COMENTÁRIO