Greve dos professores de Jardim continua. Fetamce marca presença

Foto: SINDJARDI

Professores das escolas da rede pública municipal de Jardim realizaram no dia 27 de março uma Assembleia para discutir sobre a manutenção da greve geral da categoria. O encontro contou com a presença da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), Enedina Soares, que foi prestar apoio aos grevistas e fortalecer o movimento.

Representantes da prefeitura, através da Procuradoria, Secretarias de Administração e Controle Interno e contabilidade do município estiveram presentes. No entanto, os emissários da gestão da cidade frustaram os participantes do movimento paredista, pois não apresentaram nenhuma proposta para solucionar o impasse.

Segundo Lea Filgueira, presidente do Sindicato dos Servidores de Jardim, a greve é por tempo indeterminado e segue até o governo aceitar a devolução da gratificação de 20% dos educadores, que existia há quase 20 anos. Além disso, os profissionais reivindicam progressão salarial e reajuste de 6,81%.

Enedina fala aos grevistas. Foto: SINDJARDI

Ainda assim, na ocasião, foi solicitado mais um prazo por parte da administração para que possam rever a situação. O prefeito Aniziário Jorge Costa tem argumentado que a cidade não tem margem para garantir os benefícios.

Para o sindicato, a proposta do governo municipal, até o momento, é completamente insatisfatória. “A greve permanece e na próxima quinta teremos outra assembleia na qual esperamos alguma proposta da prefeitura”, explicou Lea Filgueira.

A presidente da Fetamce, que é professora dos municípios de Fortaleza e Caucaia, levou ainda mais entusiasmo ao movimento. “A greve é mais que justa e tem o apoio integral da categoria. As palavras de ordem aqui são resistência e luta. Em Caucaia fizemos uma greve histórica em 2016  e saímos vitoriosos, mas tudo isso porque a batalha foi vencida pelos trabalhadores e trabalhadoras de mãos dadas, irmanados com o seu sindicato e com um forte sentimento de coletividade. A saída é coletiva, meus companheiros e companheiras da educação. Muita força, muita coragem e muita garra para vocês. Viva os professores de Jardim, viva à greve legal e legítima!”, discursou Enedina Soares.

DEIXE UM COMENTÁRIO